GESTÃO AMBIENTAL

.posts recentes

. VISITANTES

. SEDIMENTAÇÃO - SEDIMENTAT...

. SECA SAZONAL

. SECA CONTINGENTE - IT DRI...

. SAVANA - SAVANNAH

. SAPROPEL

. SANEAMENTO BÁSICO - BASIC...

. SANEAMENTO AMBIENTAL - AM...

. SANEAMENTO - SANITATION

. SALOBRA

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

Quarta-feira, 23 de Abril de 2008

SEDIMENTAÇÃO - SEDIMENTATION

Sedimentação
Em Geologia. Processo pelo qual se verifica a deposição de sedimentos ou de substâncias que poderão vir a ser mineralizados. Os depósitos sedimentares são resultantes da desagregação ou mesmo da decomposição de rochas primitivas. Esses depósitos podem ser de origem fluvial, marinha, glaciária, eólica, lacustre, etc. (GUERRA, 1978). Em Engenharia Sanitária. (1) Em tratamento de despejos líquidos, a deposição de sólidos pela ação da gravidade (The World Bank, 1978). (2) Processo de deposição, pela ação da gravidade, de material suspenso, levado pela água, água residuária ou outros líquidos. É obtido normalmente pela redução da velocidade do líquido abaixo do ponto a partir do qual pode transportar o material suspenso. Também chamada decantação ou clarificação (CARVALHO, 1981).
publicado por LUCIANO às 05:39
link do post | comentar | favorito
|

SECA SAZONAL

Seca Sazonal
Período do ano no qual não ocorrem, normalmente precipitações pluviométricas significativas. As chuvas desse período dificilmente ultrapassam 10 % do total de precipitações registrada durante todo o ano. É previsível e bem definida quanto ao período de ocorrência natural, com duração aproximada de seis meses, podendo chegar até oito meses em algumas áreas. Ocorre em áreas com estações seca e úmida bem definidas, como na maior parte dos trópicos (Glossário Ibama, 2003).
publicado por LUCIANO às 05:37
link do post | comentar | favorito
|

SECA CONTINGENTE - IT DRIES CONTINGENT

Seca Contingente ou Contingencial
É a seca eventual, duvidosa, incerta, que pode ou não ocorrer durante o período normalmente chuvoso. Constitui um sério risco para a agropecuária devido a sua imprevisibilidade. É resultante da irregularidade e da variabilidade espacial e temporal das precipitações pluviométricas durante a estação normalmente chuvosa. Ocorre quando o suprimento de umidade das precipitações é insuficiente para atender às necessidades hídricas das plantas (Glossário Ibama, 2003).
publicado por LUCIANO às 05:33
link do post | comentar | favorito
|

SAVANA - SAVANNAH

Savana
As savanas são grandes planícies cobertas de vegetação, limitadas em geral pela zona das florestas equatoriais, de clima mais seco e caracterizado pela alternância da estação seca e da úmida. Em geral a seca que tem a duração de 5 a 6 meses, exclui das savanas as formas arbóreas da vegetação. Esta se reduz então a grandes ervas, geralmente gramíneas de desenvolvimento rápido, que constituem por vezes espessas moitas. Essas formas de vegetação existem no Sudão, ao norte do México e ao sul da floresta Amazônica (aqui conhecida como cerrados ou campos sujos) (Glossário Libreria, 2003).
tags:
publicado por LUCIANO às 05:31
link do post | comentar | favorito
|

SAPROPEL

Sapropel
Sedimento depositado em lago, estuário ou mar, consistindo principalmente em restos orgânicos derivados de plantas ou animais aquáticos. Forma-se pela ausência de decomposição intensa e por destilação a seco de matéria graxosa, sob pressão e temperatura elevadas. Por diagênese, o sapropel passa a sapropelito.
tags:
publicado por LUCIANO às 05:27
link do post | comentar | favorito
|

SANEAMENTO BÁSICO - BASIC SANITATION

Saneamento básico
É a solução dos probelmas relacionados estritamente com o abastecimento de água e disposição dos esgotos de uma comunidade. Há quem defenda a inclusão do lixo e outros problemas que terminarão por tornar sem sentido o vocábulo básico do título do verbete (CARVALHO, 1981). (2) Conjunto de instalações e operações destinadas a garantir água potável de boa qualidade, a coleta e tratamento dos esgotos, a drenagem da água pluvial e a coleta e disposição final do lixo.
publicado por LUCIANO às 05:25
link do post | comentar | favorito
|

SANEAMENTO AMBIENTAL - AMBIENT SANITATION

Saneamento ambiental
Conjunto de ações que tendem a conservar e melhorar as condições do meio ambiente em benefício da saúde (SAHOP, 1978). (2) É a aplicação dos princípios da Engenharia, da Medicina, da Biologia e da Física no controle do ambiente, com aquelas modificações originárias da proteção e das medidas porventura desejáveis ou necessárias para instituir as condições ótimas de saúde e bem-estar (CARVALHO, 1981).
publicado por LUCIANO às 05:22
link do post | comentar | favorito
|

SANEAMENTO - SANITATION

Saneamento
Conjunto de medidas adotadas em relação ao meio, com a finalidade de criar condições favoráveis à manutenção do meio e da saúde das populações. (2) O controle de todos os fatores do meio físico do homem que exercem efeito deletério sobre seu bem-estar físico, mental ou social (Organização Mundial de Saúde, apud ACIESP, 1980). (3) Ação ou efeito de tornar são, isto é, favorável à vida e à saúde, um elemento qualquer. Em gestão ambiental, aplica-se principalmente aos recursos naturais que servem de corpos receptores dos impactos produzidos pela ação do homem, a saber: ar, água e solo.
publicado por LUCIANO às 05:19
link do post | comentar | favorito
|

SALOBRA

Salobra
Ecossistemas em que se misturam as águas doces e salgadas, em quantidades variáveis. Influem na taxa de salinidade as chuvas, as marés ou a afluência dos rios. De uma hora para outra, a água salobra pode ficar hipersalgada com relação aos oceanos. Esse fenômeno pode matar algumas espécies e causar pululação (proliferação excessiva) de outras mais adaptadas. Um pequeno crustáceo reage singularmente a esse processo: diminui a sua superfície corporal. Outro entra em hibernação nos períodos de alta salinidade.
tags:
publicado por LUCIANO às 05:16
link do post | comentar | favorito
|

SALINIZAÇÃO - SALINIZATION

Salinização
Aumento do teor de substâncias salinas no solo, que resulta geralmente da má aplicação das tecnologias de irrigação. (2) Conseqüência da irrigação em zonas áridas e semi-áridas. As águas das chuvas contêm sempre sais minerais dissolvidos, que se depositam no solo quando ele evapora. A drenagem deficiente das culturas aliada à elevação do lençol freático no nível do solo também pode gerar a salinização dos terrenos, tornando-os impróprios para agricultura.
publicado por LUCIANO às 05:14
link do post | comentar | favorito
|

SAIBRO - GROSS SAND

Saibro
Rocha proveniente da decomposição química incompleta de rochas feldspáticas leucograníticas (granitos e gnaisses), conservando vestígios da estrutura original. O saibro comum é muito poroso e permeável e é desmontável mecanicamente (enxada). Quando é mais resistente, só é desmontável com picareta e resulta num produto conhecido como saibrão.
tags:
publicado por LUCIANO às 05:12
link do post | comentar | favorito
|

ROTAÇÃO DE CORTE FLORESTAL - ROTATION OF FOREST CUT

Rotação de corte florestal
O intervalo de tempo existente entre a remoção completa de parte ou do total da plantação florestal, em uma área definida, e o próximo período de corte estipulado nesta mesma área, de acordo com o manejo silvicultural da área, considerando o objetivo da plantação florestal.
publicado por LUCIANO às 05:09
link do post | comentar | favorito
|

ROCHA MATRIZ - FIRST ROCK

Rocha matriz
É aquela em que os elementos originais ou primitivos não sofreram transformações motivadas pela meteorização (GUERRA, 1978). (2) Rocha inalterada, não decomposta, o último perfil do horizonte do solo, o horizonte C, que dá origem aos solos (CARVALHO, 1981).
publicado por LUCIANO às 05:06
link do post | comentar | favorito
|

ROCHA - ROCK

Rocha
Agregado natural, formado de um ou mais minerais, que constitui parte essencial da crosta terrestre. Massa de pedra muito dura. Penedo, penhasco, rochedo. Coisa firme inabalável. R. abissal: rocha ígnea que se consolidou nas partes profundas da litosfera. R. ácida: a que é rica em sílica. As rochas são formadas por diversas espécies de minerais simples e combinados. A maioria dos minerais são formas de silicatos. Certas rochas minerais se formam em condições muito especiais e são raríssimas de se encontrar - por isso mesmo são chamadas pedras preciosas. Quando os minerais apresentam uma certa quantidade de metal em seu interior, são chamados de minérios; isso acontece com o ferro, o mercúrio ou o cobre.
tags:
publicado por LUCIANO às 05:04
link do post | comentar | favorito
|

RIO-92

Rio-92
Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (em inglês UNCED) realizada no Rio de Janeiro, em 1992. A primeira conferência desta natureza, realizada em 1972, também recebeu o nome da cidade onde se realizou, Estocolmo.
tags:
publicado por LUCIANO às 05:01
link do post | comentar | favorito
|

RELATÓRIO DE IMPACTO AMBIENTAL (RIMA) - ENVIRONMENTAL IMPACT REPORT

RIMA
Relatório de Impacto Ambiental; documento que apresenta os resultados dos estudos técnicos e científicos de avaliação de impacto ambiental; resume o Estudo Prévio de Impacto (EIA) e deve esclarecer todos os elementos do projeto em estudo, de modo compreensível aos leigos, para que possam ser divulgados e apreciados pelos grupos sociais interessados e por todas as instituições envolvidas na tomada de decisão; a sigla RIMA apareceu pela primeira vez no Estado do Rio de Janeiro, em 1977, para designar o Relatório de Influência no Meio Ambiente; a regulamentação da Lei n.° 6.938, de 31/08/81, denomina Relatório de Impacto Ambiental - RIMA o documento que será constituído pelo estudo de impacto ambiental, a ser exigido para fins de licenciamento das atividades modificadoras do meio ambiente.
publicado por LUCIANO às 04:58
link do post | comentar | favorito
|

RESTINGA

Restinga
Depósito de areia emerso, baixo, em forma de língua, que fecha ou tende a fechar uma reentrância da costa. (2) Faixa ou língua de areia depositada paralelamente ao litoral, fechando ou tendendo a fechar uma reentrância mais ou menos extensa da costa. As restingas são características do litoral brasileiro e sustentam comunidades vegetais próprias. Restingas em alto-mar são associadas a recifes de coral. (3) São acumulações arenosas litorâneas, de forma geralmente alongada e paralelas à linha da costa, produzidas pelo empilhamento de sedimentos transportados pelo mar. Ocasionalmente, por acumulação eólica, podem ter maior altura - (Proposta de decreto de regulamentação da Lei nº 690 de 01.12.1983, FEEMA, 1984). (4) Acumulação arenosa litorânea, paralela à linha da costa, de forma geralmente alongada, produzida por sedimentos transportados pelo mar, onde se encontram associações vegetais mistas características, comumente conhecidas como vegetação de restinga (Resolução CONAMA Nº004 de 18.09.85). (5) Banco de areia ou de rocha no alto mar; baixio, escolho, recife. Pequeno matagal à margem de um ribeiro, em terreno fértil. (6) Vegetação que recebe influência marinha, presente ao longo do litoral brasileiro, também considerada comunidade edáfica, por depender mais da natureza do solo do que do clima. Ocorre em mosaico e encontra-se em praias, cordões arenosos, dunas e depressões, apresentando de acordo com o estágio sucessional, estrato herbáceo, arbustivo e arbóreo, este último mais interiorizado (Resolução CONAMA 010/93). (7) Faixa formada pela deposição de areia e sedimentos paralelamente ao litoral, onde serão localizadas lagoas e dunas; mata de restinga: floresta de zona costeira, resistente à salinidade, caracteriza-se por associações vegetais mistas, com grande presença de plantas tropicais como as bromélias. (8) A ação associada de ondas e correntes marinhas, pode originar, na entrada de golfos, ou próximo à costa, depósito de areia em cordões, caso haja um conjunto de ilhas paralelas à mesma: são as restingas (Glossário LIbreria, 2003).
tags:
publicado por LUCIANO às 04:56
link do post | comentar | favorito
|

RESTAURAÇÃO - RESTORATION

Restauração
Restituição de um ecossistema ou de uma população silvestre degradada o mais próximo possível da sua condição original (Lei n.º 9.985/2000, art. 2º XIV). (2) Ação que interfere no processo de recuperação quando os mecanismos de regeneração natural de um ecossistema ou de uma espécie não são suficientes para assegurar sua sobrevivência. É diferente de recuperação.
publicado por LUCIANO às 04:53
link do post | comentar | favorito
|

RESÍDUOS SÓLIDOS - SOLID RESIDUES

Resíduos sólidos
Todos os resíduos sólidos ou semi-sólidos que não têm utilidade, nem valor funcional ou estético para o gerador e são originados em residências, indústrias, comércio, instituições, hospitais e logradouros públicos. (2) Material inútil, indesejado ou descartado, cuja composição ou quantidade de líquido não permite que se escoe livremente.
publicado por LUCIANO às 04:52
link do post | comentar | favorito
|

RESÍDUOS FLORESTAIS - FOREST RESIDUES

Resíduos florestais
Sobras de material, que não o objeto prioritário da atividade, resultante da alteração sofrida pela matéria-prima florestal quando submetida à ação exterior através de processos mecânicos, físicos e/ou químicos. Exemplo: galhos, tocos, raiz, aparas de madeira, serragem, etc. (Portaria Normativa IBDF 302/84).
publicado por LUCIANO às 04:49
link do post | comentar | favorito
|

RESÍDUO - RESIDUE

Resíduo
Substância ou mistura de substâncias remanescentes ou existentes em alimentos ou no meio ambiente, decorrente do uso ou não de agrotóxicos e afins, inclusive qualquer derivado específico, tais como produtos de conversão e de degradação, metabólicos, produtos de reação e impurezas, considerados toxicológica e ambientalmente importantes (Decreto 98.816/90). (2) Material descartado, individual ou coletivamente, pela ação humana, animal ou por fenômenos naturais, nocivo à saúde, ao meio ambiente e ao bem-estar da população.
tags:
publicado por LUCIANO às 04:47
link do post | comentar | favorito
|

RESERVATÓRIO GÊNICO

Reservatório gênico
Totalidade dos genes presentes em uma determinada população de um organismo de reprodução sexuada, em um determinado momento. Geralmente, o conceito se aplica aos membros de populações de uma mesma espécie com fertilidade comum maior devido ao relacionamento filogenético, mas situações desviantes podem ocorrer com a fertilidade comum atingindo outras espécies e até mesmo gêneros. O reservatório gênico de uma espécie cultivada é composto por três níveis de trocas gênicas possíveis entre os participantes. O reservatório gênico primário (GP1) compreende os estoques domesticados da cultura e as formas parentais silvestres que lhe deram origem ou influenciaram sua formação. O reservatório gênico secundário (GP2) compreende as espécies silvestres que cruzam com a cultura principal e produzem prole, embora geralmente o processo se dê com alguma dificuldade e os níveis de fertilidade sejam relativamente baixos. O reservatório gênico terciário (GP3) compreende as espécies silvestres que só cruzam com a cultura principal mediante tratamentos especiais, como fusão de protoplastos. Aqui, o relacionamento genético é baixo e a progênie F1 é geralmente estéril.
publicado por LUCIANO às 04:44
link do post | comentar | favorito
|

RESERVATÓRIO - RESERVOIR

Reservatório
Rocha que apresenta grande quantidade de poros, fendas, vesículas, etc., permitindo a acumulação de grandes quantidades de petróleo, gás e água. (2) Lugar onde a água é acumulada para servir às múltiplas necessidades humanas, em geral formado pela construção de barragens nos rios ou pela diversão da água para depressões no terreno, ou construído como parte de sistemas de abastecimento de água, antes ou depois de estações de tratamento. Massa d´água, natural ou artificial, usada para armazenar, regular e controlar os recursos hídricos (DNAEE, 1976).
publicado por LUCIANO às 04:42
link do post | comentar | favorito
|

RESERVAS NACIONAIS - NATIONAL RESERVES

Reservas Nacionais
As regiões estabelecidas para a conservação e utilização, sob a vigilância, das riquezas naturais, nas quais se protegerá a flora e a fauna tanto quanto compatível com os fins para os quais estas reservas são criadas (Decreto 58.054/66).
publicado por LUCIANO às 04:39
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds