GESTÃO AMBIENTAL

.posts recentes

. VISITANTES

. SEDIMENTAÇÃO - SEDIMENTAT...

. SECA SAZONAL

. SECA CONTINGENTE - IT DRI...

. SAVANA - SAVANNAH

. SAPROPEL

. SANEAMENTO BÁSICO - BASIC...

. SANEAMENTO AMBIENTAL - AM...

. SANEAMENTO - SANITATION

. SALOBRA

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

Sábado, 19 de Abril de 2008

HOT SPOT DE BIODIVERSIDADE

Hot spot de Biodiversidade
Estratégia de conservação baseada na definição de áreas ricas em biodiversidade em todo o planeta. Os critérios para definir um hot spot em escala internacional são: alto endemismo e diversidade de plantas; como todas as demais formas de vidas dependem delas, as plantas são de grande importância na determinação de um hot spot. De fato, o candidato a hot spot precisa conter pelo menos 0,5%, ou seja, 1.500 das 300.000 espécies de plantas do planeta como endêmicas.
publicado por LUCIANO às 23:05
link do post | comentar | favorito
|

HERBICIDA

Herbicida
Produto utilizado para destruir ou controlar o crescimento de ervas daninhas, arbustos ou outras plantas indesejáveis. (2) Substâncias químicas, com maior ou menor toxicidade, borrifadas nas plantações para matar ervas daninhas. (3) Substância química usada para matar plantas e principalmente ervas daninhas (CARVALHO, 1981). (4) Pesticida químico usado para destruir ou controlar o crescimento de ervas daninhas, arbustos ou outras plantas indesejáveis (BRAILE, 1983).
tags:
publicado por LUCIANO às 23:03
link do post | comentar | favorito
|

HERBÁRIO

Herbário
Coleção de espécimes vegetais secos e prensados, arranjados e descritos de forma sistemática, e que servem de referência taxonômica para a identificação e classificação das plantas. Coleção de plantas que geralmente passaram por um processo de prensagem e secagem. Tais plantas são ordenadas de acordo com um determinado sistema de classificação e são disponíveis para referências e outros fins científicos (FERRI et alii, 1981). (2) Coleção de plantas preservadas e destinadas à pequisa científica ou ao ensino de botânica.
tags:
publicado por LUCIANO às 23:00
link do post | comentar | favorito
|

HÁBITAT

Hábitat
Local com características e componentes ecológicos específicos, onde as espécies estão adaptadas e completam naturalmente seu ciclo biológico. Florestas, savanas, lagos, dentre outros, são exemplos de hábitats. (2) Hábitat de um organismo é o lugar onde vive ou o lugar onde pode ser encontrado. O hábitat pode referir-se também ao lugar ocupado por uma comunidade inteira. Por analogia, pode-se dizer que o hábitat é o endereço do organismo e o nicho ecológico é biologicamente falando, sua profissão (ODUM, 1972). (3) Conjunto de todos os fatores e elementos que cercam uma dada espécie de ser vivo (MARTINS, 1978). (4) O local físico ou lugar onde um organismo vive, e que obtém alimento, abrigo e condições de reprodução (USDTM 1980). (5) Significa o lugar ou tipo de local onde um organismo ou população ocorre naturalmente (ARRUDA et allii, 2001). (6) Ambiente que oferece um conjunto de condições favoráveis para o desenvolvimento, a sobreviência e a reprodução de determinados organismos. (7) Ambiente onde um animal ou uma planta vive normalmente, muitas vezes caracterizado por uma forma vegetal ou característica física dominante (isto é, o hábitat de lago, de florestas etc.). (8) O hábitat está em relação direta com a estrutura e as funções do ecossistema. (9) Ambiente natural de uma determinada espécie animal, com os recursos necessários de alimento e abrigo, e onde todo o ciclo reprodutivo está assegurado; espécies distintas podem ocupar o mesmo hábitat. (10) Ambiente ou ecossistema que oferece um conjunto de condições favoráveis para a reprodução, o desenvolvimento e sobrevivência de determinada população de organismos (Glossário Ibama, 2003).
tags:
publicado por LUCIANO às 22:58
link do post | comentar | favorito
|

GREENPEACE

Greenpeace
ONG multinacional fundada em 1971. Atua em pelo menos cinco áreas diferentes: ecologia oceânica, selvas tropicais, Antártida, substâncias tóxicas, energia nuclear e atmosfera. O Greenpeace se serve de armas eficientes como ação direta, que atrai a atenção da mídia e muitas vezes impede um processo de agressão ambiental. Elabora estudos científicos sobre os problemas ecológicos mais graves do planeta.
publicado por LUCIANO às 22:55
link do post | comentar | favorito
|

GPS - SISTEMA GLOBAL DE POSICIONAMENTO - GLOBAL POSITIONING SYSTEM

GPS - Global Positioning System (Sistema Global de Posicionamento)
Constelação de satélites desenvolvidos pelo Departamento de Defesa dos EUA, utilizada em levantamentos geodésicos e outras atividades que necessitem de posicionamento preciso. Os satélites transmitem sinais que podem ser decodificados por receptores especialmente projetados para determinar com precisão, posições sobre a superfície da Terra. (2) Sistema de posicionamento global; sistema eletrônico de localização que permite que qualquer pessoa possa se localizar no planeta com grande precisão.
publicado por LUCIANO às 22:51
link do post | comentar | favorito
|

SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS (SIG) - GEOGRAPHIC INFORMATION SYSTEM (GIS)

GIS - Geographic Information System (Sistema de Informações Geográficas / SIG)
Sistema de informação que permite ao usuário coletar, manusear, analisar e exibir dados referenciados espacialmente. Um SIG pode ser visto como a combinação de hardware, software, dados, metodologias e recursos humanos, que operam de forma harmônica para produzir e analisar informação geográfica.
publicado por LUCIANO às 22:46
link do post | comentar | favorito
|

GESTÃO AMBIENTAL - AMBIENT MANAGEMENT

Modelo de Gestão ambiental
Condução, direção e controle, pelo governo, do uso e da conservação dos recursos naturais, através de determinados instrumentos, que incluem medidas econômicas, regulamentos, investimentos públicos e financiamentos, requisitos interinstitucionais e jurídicos. (2) A tarefa de administrar o uso produtivo de um recurso renovável sem reduzir a produtividade e a qualidade ambiental, normalmente em conjunto com o desenvolvimento de uma atividade (HURTUBIA, 1980). (3) É um processo de mediação entre interesses de atores sociais voltado ao uso ou preservação de um recurso (ARRUDA et allii, 2001). (4) Condução, direção, proteção da biodiversidade, controle do uso de recursos naturais, através de determinados instrumentos, que incluem regulamentos e normatização, investimentos públicos e financiamentos, requisitos interinstitucionais e jurídicos. Este conceito tem evoluído para uma perspectiva de gestão compartilhada pelos diferentes agentes envolvidos e articulados em seus diferentes papéis, a partir da perspectiva de que a responsabilidade pela conservação ambiental é de toda a sociedade e não apenas do governo, e baseada na busca de uma postura pró-ativa de todos os atores envolvidos (ARRUDA et allii, 2001). (5) Forma de administrar a apropriação e uso dos recursos ambientais; adequando as atividades produtivas à capacidade de reposição desses recursos, de modo a assegurar sua pererenidade; instrumento indispensável para o planejamento. (6) Admonistração, pelo governo, da proteção e do uso dos recursos ambientais, por meio de ações ou medidas econômicas, investimentos e providências institucionais e jurídicas, com a finalidade de manter ou recuperar a qualidade do meio ambiente, asegurar a produtividade dos recursos e o desenvolvimento social. Este conceito tem se ampliado, nos últimos anos, para incluir, além da gestão pública do meio ambiente, os progrmas de ação desenvolvidos por empresas para administrar com responsabilidade suas atividades de modo a proteger o meio ambiente (FEEMA, 1997).
publicado por LUCIANO às 22:42
link do post | comentar | favorito
|

GEF (GLOBAL ENVIRONMENT FACILITY)

GEF (Global Environment Facility)
Fundo para o Meio Ambiente Global, criado pelo Banco Mundial, Programa de Desenvolvimento da ONU e Programa para o Meio Ambiente da ONU em 1990; opera os mecanismos financeiros das convenções internacionais de meio ambiente, por meio de fundos que patrocinam projetos de países em desenvolvimento, que tragam benefícios para mudança do clima global e conservação da biodiversidade.
publicado por LUCIANO às 22:38
link do post | comentar | favorito
|

GÁS NATURAL - NATURAL GAS

Gás natural
Mistura gasosa, cujo constituinte principal é o metano. O gás natural é uma energia fóssil, muitas vezes associada a depósitos de petróleo. Não é muito tóxico e tem duplo poder calorífico. Sua combustão libera apenas dióxido de carbono e é considerada uma fonte de energia limpa. (2) Recurso natural relativamente abundante e amplamente utilizado. O gás natural pode ser usado em estado gasoso - comprimido e na forma líquida. As duas formas geram uma menor emissão de poluentes do que a gasolina. Por isso tem sido utilizado como combustível em ônibus metropolitanos de alguma cidades.
publicado por LUCIANO às 22:35
link do post | comentar | favorito
|

FRÉONS

Fréons
Nome comercial que designa CFCs liberados principalmente por aerossóis, geladeiras, aparelhos de ar condicionado e usados na fabricação de espumas isopor, que respondem por 40% de sua utilização na indústria. No meio da década de 80, liberação de fréons alcançou o seu auge (1,15 milhão de toneladas), afetando diretamente a camada de ozônio. Na atmosfera, os CFCs se desassociam sob a ação dos raios infravermelhos e, a partir dessa reação, passam a decompor moléculas de ozônio.
tags:
publicado por LUCIANO às 22:32
link do post | comentar | favorito
|

FOTOSSÍNTESE - PHOTOSYNTHESES

Fotossíntese
Formação de carboidratos, a partir de bióxido de carbono e água, nas células clorofiladas de plantas verdes, sob a influência da luz, com desprendimento fotoquímico de oxigênio. (2) É o processo pelo qual a energia proveniente do sol é usada para formar as ligações de energia química que mantêm juntas as moléculas orgânicas. As matérias-primas inorgânicas usadas na fotossíntese são CO2 e água. O oxigênio que é liberado na atmosfera é um dos seus produtos finais mais importantes (EHRLICH & EHRLICH, 1974). (3) Síntese de materiais orgânicos a partir de água e gás carbônico, quando a fonte de energia é a luz, cuja utilização é medida pela clorofila (FERRI et alii, 1981). (4) É o processo de conversão do dióxido de carbono e água para carboidratos, que ocorre ao nível dos cloroplastos, pela ação da energia luminosa absorvida pelos pigmentos fotossintetizantes (especialmente clorofila). A luz solar é capturada e transformada em energia alimentar, metabolizada.
publicado por LUCIANO às 22:29
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

FLORESTA SECUNDÁRIA - SECONDARY FOREST

Floresta secundária
Vegetação com formação de porte e estrutura diversa, onde se constata modificação na sua composição, que na maioria das vezes, devido a atividade do homem, apresenta-se em processo de degradação ou mesmo em recuperação (Portaria Normativa IBAMA 83/91). (2) Floresta que foi cortada e cresceu novamente, sem intervenção do homem; diferente de área reflorestada, onde as florestas são plantadas.
publicado por LUCIANO às 22:27
link do post | comentar | favorito
|

FLORESTA PRIMÁRIA - PRIMARY FOREST

Floresta primária
Vegetação arbórea denominada floresta estacional semidecidual onde estão caracterizadas as florestas aluvial e submontana. Apresentam-se estruturalmente compostas de árvores altas e fustes normalmente finos e retilíneos. Nessa formação existe uma densa submata de arbustos e uma enorme quantidade de plântulas de regeneração (Portaria Normativa IBAMA 83/91). (2) Floresta que nunca foi alterada por ação do homem.
publicado por LUCIANO às 22:23
link do post | comentar | favorito
|

FLORESTA OMBRÓFILA MISTA

Floresta ombrófila mista
Floresta com araucária; originalmente, distribuía-se por 185.000 quilômetros quadrados no planalto sul-brasileiro, concentrada nos estados do Paraná (37% do estado), Santa Catarina (31%) e Rio Grande do Sul (25%); o desenvolvimento dessa floresta está intimamente relacionado à altitude em linhas de escoamento do ar frio; caracteriza-se por dois estratos arbóreos e um arbustivo: no estrato superior domina a araucária, que dá à floresta um desenho exclusivo, no estrato inferior dominam variedades de lauráceas, como a canela e a imbuia, e no sub-bosque predominam a erva-mate e o xaxim; revestida originalmente 73.00 quilômetros quadrados do território do Estado do Paraná e atualmente as áreas de floresta primária representam apenas 0,8% da área original.
publicado por LUCIANO às 22:20
link do post | comentar | favorito
|

FLORESTA OMBRÓFILA DENSA

Floresta ombrófila densa
Tipo de vegetação que ocorre na Amazônia e Matas Costeiras. Caracteriza-se por apresentar elevadas temperaturas (média 25 °C) e alta preciptação, bem distribuída durante o ano (ARRUDA et allii, 2001. (2) Floresta perenifólia (sempre verde); cobria originalmente a região litorânea brasileira, do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul; área rica em biodiversidade, caracteriza-se por dossel de até 15 metros, árvores de até 40 metros de altura e vegetação arbustiva densa, composta por samambaias arborescentes, bromélias e palmeiras; reduzida a menos de 7% da área original.
publicado por LUCIANO às 22:18
link do post | comentar | favorito
|

FLORESTA NACIONAL - NATIONAL FOREST

Floresta nacional - FLONA
São áreas de domínio público, providas de cobertura vegetal nativa ou plantada, estabelecida com objetivos de promover o manejo dos recursos naturais, com ênfase na produção de madeira e outros vegetais e garantir a proteção dos recursos hídricos, das belezas cênicas e dos sítios históricos e arqueológicos, assim como fomentar o desenvolvimento da pesquisa científica básica e aplicada, da educação ambiental e das atividades de recreação, lazer e turismo (Portaria IBAMA 92-N/98). (2) Unidade de conservação de uso sustentável, implantada em área pública, com cobertura florestal de espécies predominantemente nativas; tem como objetivo básico o uso múltiplo sustentável dos recursos florestais e a pesquisa científica, com ênfase em métodos para exploração sustentável de florestas nativas.
publicado por LUCIANO às 22:16
link do post | comentar | favorito
|

FLORESTA ESTACIONAL-SEMIDECIDUAL

Floresta estacional-semidecidual
Floresta tropical subcaducifólia; cobria extensas áreas do território brasileiro, podendo ser encontrada em relevos dissecados nos planaltos que dividem as águas das nascentes do rio Amazonas - nos estados de Rondônia e Mato Grosso, ao mesmo tempo em que reveste as encostas inferiores das Serras do Mar e da Mantiqueira - nos estados do Nordeste e em MInas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo, e nas bacias dos rios Paraguai e Paraná nos Estados de Mato Grosso e Santa Catarina; vegetação desse tipo de floresta está condicionada pela dupla exposição ao clima característico de duas estações: uma tropical, com época de intensas chuvas de verão, seguida por triagem acentuada, com temperaturas médias em torno de 22° C; outra subtropical, sem período seco, mas com seca fisiológica provocada pelo intenso frio do inverno, com temperaturas médias inferiores a 15° C. Por efeito dessa exposição a climas distintos, diferentemente do que ocorre nas florestas tipicamente tropicais, onde as árvores permanentemente verdes (perenifólias), uma parte das árvores - entre 20% e 50% - perde as folhas estacional-semidecídua. Cobria 94.000 quilômetros quadrados, praticamente metade do território do Estado, e hoje se reduz a pequenos fragmentos, dos quais o Parque Nacional do Iguaçu é o maior e melhor conservado.
publicado por LUCIANO às 22:13
link do post | comentar | favorito
|

FLORESTA ESTACIONAL

Floresta estacional
Floresta que sofre ação climática desfavorável, seca ou fria, com perda de folhas (Resolução CONAMA 012/94). (2) Vegetação condicionada pela dupla estacionalidade climática, uma tropical com época de intensas chuvas de verão, seguida por estiagem acentuada e outra subtropical sem período seco, mas com seca fisiológica provocada pelo intenso frio do inverno, com temperaturas médias inferiores a 15°C (ARRUDA et allii, 2001).
publicado por LUCIANO às 22:10
link do post | comentar | favorito
|

FLORESTA DE ALTO VALOR DE CONSERVAÇÃO - FOREST OF HIGH VALUE OF CONSERVATION

Floresta de alto valor de conservação
Floresta que tem uma ou mais das seguintes características: (a) áreas florestais possuindo em âmbito global, regional ou regional significativas; (b) concentrações de valores de biodiversidades (p. ex. endemismo, espécies ameaçadas, refúgios); (c) florestas de nível de paisagem amplo, contidas dentro da unidade de manejo ou contendo esta onde populações viáveis da maioria, senão de todas as espécies que ocorram naturalmente, existem em padrões naturais de distribuição e abundância; (d) áreas florestais que estejam, ou contenham, ecossistemas raros, ameaçados ou em perigo de extinção; (e) áreas florestais que forneçam serviços básicos da natureza em situações críticas (p. ex., proteção de manancial, controle de erosão ); (f) áreas florestais fundamentais para satisfazer as necessidades básicas das comunidades locais (p.ex., subsistência, saúde) e/ou críticas para identidade cultural tradicional de comunidades locais (áreas de importância cultural, ecológica, econômica ou religiosa identificadas em cooperação com tais comunidades locais).
publicado por LUCIANO às 22:07
link do post | comentar | favorito
|

FLORESTA - FOREST

Floresta
Vegetação cerrada constituída de árvores de grande porte, cobrindo grande extensão de terreno. (2) Ecossistemas complexos, nos quais as árvores são a forma vegetal predominante que protege o solo contra o impacto direto do sol, dos ventos e das precipitações. A maioria dos autores apresentam matas e florestas como sinônimos, embora alguns atribuam à floresta maior extensão que às matas. (3) Vegetação de árvores com altura geralmente maior que sete metros, com dossel fechado ou mais ralo, aberto; às vezes (mata) significa um trecho menos extenso que floresta, e mais luxuriante (densa ou alta) do que arvoredo (GOODLAND, 1975). (4) Associação arbórea de grande extensão e continuidade. O império da árvore num determinado território dotado de condições climáticas e ecológicas para o desenvolvimento de plantas superiores. Não há um limite definido entre uma vegetação arbustiva e uma vegetação florestal. No Brasil, os cerrados, as matas de cipós e os junduis, que são as florestas menos altas do país, tem de 7 a 12 metros de altura média. Em contraste, na Amazônia ocorrem florestas de 25 a 36 metros de altura com sub-bosques de emergentes que atingem até 40-45 metros (Polígono dos Castanhais). (5) A floresta pode ser nativa ou natural (com espécies ou essências características do meio ou ecossistema) ou plantada (com essências nativas ou espécies exóticas). As florestas plantadas com espécies exóticas (predominantemente pinus e eucalipto) destinam-se a fins industriais ou comerciais. (6) Agrupamento de vegetação em que o elemento dominante é a árvore; formação arbórea densa; constituem os principais biomas terrestres e cobrem cerca de 30% da superfície do planeta; as diferentes características da vegetação que compõe as florestas - e conseqüentemente de sua fauna - estão relacionadas principalmente ao tipo de clima, de relevo e de solo. (7) Área de terra mais ou menos extensa coberta predominantemente de vegetação lenhosa de alto porte formando uma biocenose.
publicado por LUCIANO às 22:01
link do post | comentar | favorito
|

FLORA

Flora
Reino vegetal. Conjunto da vegetação de um país ou de uma região. Tratado descritivo dessa vegetação. (2) A totalidade das espécies vegetais que compreende a vegetação de uma determinada região, sem qualquer expressão de importância individual. Compreende também as algas e fitoplânctons marinhos flutuantes. A flora se organiza geralmente em estratos, que determinam formações específicas como campos e pradarias, savanas e estepes, bosques e florestas e outros.
tags:
publicado por LUCIANO às 21:58
link do post | comentar | favorito
|

FAUNA SILVESTRE BRASILEIRA

Fauna silvestre brasileira
Todos os animais pertencentes às espécies nativas, migratórias e quaisquer outras, aquáticas ou terrestres, reproduzidas ou não em cativeiro, que tenham seu ciclo biológico ou parte dele ocorrendo naturalmente dentro dos limites do Território Brasileiro e suas águas jurisdicionais (Portarias Normativas IBAMA 117/97 e 118/97).
publicado por LUCIANO às 21:54
link do post | comentar | favorito
|

EVAPOTRANSPIRAÇÃO

Evapotranspiração
É o fenômeno que corresponde à evaporação das águas acumuladas nas retenções e nas camadas superficiais do solo, acrescida da evaporação da água da chuva interceptada pela folhagem da cobertura vegetal e da transpiração natural que os vegetais executam (HELDER G. COSTA, informação pessoal, 1985). (2) Quantidade de água transferida do solo à atmosfera por evaporação e transpiração das plantas (DNAEE) (3) Perda de água de uma comunidade biótica ou de um ecossistema, causada por evaporação da água do solo e pela transpiração das plantas.
publicado por LUCIANO às 21:51
link do post | comentar | favorito
|

EUTROFIZAÇÃO

Eutrofização
Falta de oxigênio na água que pode ser ocasionada por fenômenos naturais ou artificiais, causados pela ação do homem. A eutrofização natural pode surgir por uma falta de mistura entre as águas superficiais e profundas de um ecossistema ou também por um excesso de animais na água. Ali, a luta pelo oxigênio torna-se maior do que a luta pela alimentação. A eutrofização pode ser originada por esgotos e efluentes ricos em fosfato, nitratos e compostos orgânicos elementos que acabam alimentando plânctons e bactérias, causando proliferação. A fauna passa a consumir mais oxigênio do que as plantas podem liberar. (2) É o enriquecimento da água com nutriente através de meios criados pelo homem, produzindo uma abundante proliferação de algas (BERON, 1981). (3) Exagerado aumento da quantidade de nutrientes em um corpo d'água, na forma de esgotos domésticos ou qualquer outro tipo de resíduo orgânico, que induz ao desenvolvimento de superpopulações de microrganismos, especialmente de algas (que são vegetais e, portanto, também fazem fotossíntese, gerando mais matéria orgânica); como os microrganismos têm, em geral, um período de vida muito curto, ao morrer aumentam a carga orgânica e a eutrofização; quando é muito forte, o oxigênio dissolvido (OD) é totalmente consumido, fazendo o ecossistema entrar em anaerobiose, causando mau cheiro, principalmente pela presença de sulfetos e gás sulfídricos; o mesmo que eutroficação.
publicado por LUCIANO às 21:49
link do post | comentar | favorito
|

EUTROFICAÇÃO

Eutroficação
Processo de envelhecimento dos lagos. Durante a eutroficação, o lago torna-se rico em compostos nutritivos; especialmente o nitrogênio e o fósforo, que há uma superabundância de algas (BRAILE, 1983). (2) O enriquecimento das águas por nutrientes requeridos para o crescimento vegetal; muitas vezes o superenriquecimento causado por esgotos e escoamento superficial de terras com fertilizantes agrícolas, e que resulta em crescimento bacteriano excessivo e depleção de oxigênio. Usa-se também Eutroficação.
publicado por LUCIANO às 21:46
link do post | comentar | favorito
|

ESTUDOS AMBIENTAIS - AMBIENT STUDIES

Estudos ambientais
São todos e quaisquer estudos relativos aos aspectos ambientais relacionados à localização, instalação, operação e ampliação de uma atividade ou empreendimento, apresentando como subsídio para a análise da licença requerida, tais como: relatório ambiental, plano e projeto de controle ambiental, relatório ambiental preliminar, diagnóstico ambiental, plano de manejo, plano de recuperação de área degradada e análise preliminar de risco (Resolução CONAMA 237/97).
publicado por LUCIANO às 21:43
link do post | comentar | favorito
|

ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL - STUDY OF AMBIENT IMPACT

Estudo de Impacto Ambiental
EIA - Um dos elementos do processo de avaliação de impacto ambiental. Trata-se da execução por equipe multidisciplinar das tarefas técnicas e científicas destinadas a analisar, sistematicamente, as conseqüências da implantação de um projeto no meio ambiente, por meio de métodos de AIA e técnicas de previsão dos impactos ambientais. O estudo realiza-se sob a orientação da autoridade ambiental responsável pelo licenciamento do projeto em questão, que, por meio de instruções técnias específicas, ou termos de referência, indica a abrangência do estudo e os fatores ambientais a serem considerados detalhadamente. O estudo de impacto ambiental compreende, no mínimo: a descrição do projeto e suas alternativas, nas etapas de planejamento, construção, operação e, quando for o caso; a desativação; a delimitação e o diagnóstico ambiental da área de influência; a identificação, a medição e a valoração dos impactos; a comparação das alternativas e a previsão de situação ambiental futura, nos casos de adoção de cada uma das alternativas, inclusive no caso de não se executar o projeto; a identificação das medidas mitigadoras e do programa de monitoragem dos impactos; a preparação do relatório de impacto ambiental - RIMA. (2) Mecanismo administrativo preventivo e obrigatório de planejamento visando à preservação da qualidade ambiental; exigido como condição de licenciamento em obras, atividades ou empreendimentos potencialmente causadores de significativa degradação ambiental; deve ser executado por equipe multidisciplinar e apresentado à população afetada ou interessada, mediante audiência pública; previsto na Constituição Federal, na Lei n.° 6.938/81 (Política Nacional do Meio Ambiente) e regulamentado pela Resolução CONAMA 001/86.
publicado por LUCIANO às 21:40
link do post | comentar | favorito
|

ESTALAGMITE

Estalagmite
Deposição mineral calcária, de forma alongada e volume variável, formada no piso de cavidades naturais subterrâneas, composta por partículas das camadas superiores do teto dessas cavidades trazidas pelo gotejamento da água infiltrada nessas camadas (Autor).
publicado por LUCIANO às 21:38
link do post | comentar | favorito
|

ESTALACTITES E ESTALAGMITES

Estalactites e estalagmites
Dois tipos de espeleotemas. O principal mineral formador desses e de outros espeleotemas é a calcita (CaCo3). As estalactites e estalagmites formam-se pelo gotejamento de água saturada em calcita, ao longo de sua infiltração em rochas calcárias. A estalactite forma-se do teto para baixo, pela superposição de anéis de calcita. Já a estalagmite "cresce" do piso da caverna para cima, bem em baixo da estalactite, a partir do gotejamento de água saturada em calcita que se precipita da estalactite. Quando a estalactite se junta com a estalagmite, forma-se um outro espeleotema chamado coluna. A velocidade de crescimento das estalactites varia entre 0,01mm a 3 mm por ano.
publicado por LUCIANO às 21:35
link do post | comentar | favorito
|

ESTALACTITES

Estalactites
Deposição mineral calcária, de forma alongada e volume variável, formada no teto de cavidades naturais subterrâneas, composta por partículas das camadas superiores do teto, trazidas pelo movimento descendente da água nele infiltrada (Autor).
publicado por LUCIANO às 21:33
link do post | comentar | favorito
|

ESTÁGIO MÉDIO - AVERAGE PERIOD OF TRAINING

Estágio médio
Estágio de regeneração da vegetação secundária da Floresta Atlântica com as seguintes características: fisionomia arbórea e/ou arbustiva, predominando sobre a herbácea, podendo constituir estratos diferenciados; cobertura arbórea, variando de aberta a fechada, com a ocorrência eventual de indivíduos emergentes; distribuição diamétrica apresentando amplitude moderada, com predomínio de pequenos diâmetros; epífitas aparecendo com maior número de indivíduos e espécies em relação ao estágio inicial, sendo mais abundante na floresta ombrófila; trepadeiras, quando presentes são predominantemente lenhosas; serapilheira presente, variando de espessura de acordo com as estações do ano e a localização; diversidade biológica significativa; sub-bosque presente (Resolução CONAMA 010/93).
publicado por LUCIANO às 21:30
link do post | comentar | favorito
|

ESTÁGIO INICIAL - INITIAL PERIOD OF TRAINING

Estágio inicial
Estágio de regeneração da vegetação secundária da Floresta Atlântica com as seguinte características: fisionomia herbáceo/arbustiva de porte baixo, com cobertura vegetal variando de fechada a aberta; espécies lenhosas com distribuição diamétrica de pequena amplitude; epífitas, se existentes, são representadas principalmente por líquens, briófitas e pteridófitas, com baixa diversidade; trepadeiras, se presentes, são geralmente herbáceas; serapilheira, quando existente, forma uma camada fina pouco decomposta, contínua ou não; diversidade biológica variável com poucas espécies arbóreas ou arborescentes, podendo apresentar plântulas de espécies características de outros estágios; espécies pioneiras abundantes; ausência de sub-bosque (Resolução CONAMA 010/93).
publicado por LUCIANO às 21:28
link do post | comentar | favorito
|

ESTÁGIO AVANÇADO - ADVANCED PERIOD OF TRAINING

Estágio avançado
Estágio de regeneração da vegetação secundária da Floresta Atlântica com as seguintes características: fisionomia arbórea, dominante sobre as demais, formando um dossel fechado e relativamente uniforme no porte, podendo apresentar árvores emergentes; espécies emergentes, ocorrendo com diferentes graus de intensidade; copas superiores, horizontalmente amplas; distribuição diamétrica de grande amplitude; epífitas, presentes em grande número de espécies e com grande abundância, principalmente na floresta ombrófila; trepadeiras, geralmente lenhosas, sendo mais abundantes e ricas em espécies na floresta estacional; serapilheira abundante; diversidade biológica muito grande devido à complexidade estrutural; estratos herbáceo; florestas nestes estágios podem apresentar fisionomia semelhante à vegetação primária; sub-bosque normalmente menos expressivo do que no estágio médio; dependendo da formação florestal, pode haver espécies dominantes (Resolução CONAMA 010/93).
publicado por LUCIANO às 21:25
link do post | comentar | favorito
|

ESTAÇÃO ECOLÓGICA - ECOLOGICAL STATION

Estação ecológica/nacionais/estaduais e municipais
São áreas representativas de ecossistemas brasileiros, destinados à realização de pesquisas básicas e aplicadas de ecologia, à proteção do ambiente natural e ao desenvolvimento da educação conservacionista (Lei nº 6.902 de 27.04.81). (2) Unidade de conservação que se destina à preservação integral da biota e demais atributos naturais existentes em seus limites e à realização de pesquisas científicas. Não é permitida a visitação pública, admitindo-se, no entanto, de acordo com regulamento específico, a sua realização com objetivo educacional (ARRUDAet allii, 2001). (3) Tem como objetivo a preservação da natureza e a realização de pesquisas científicas. A visitação pública é proibida, exceto quando com objetivo educacional, de acordo com o que dispuser o Plano de Manejo da unidade ou regulamento específico (ARRUDA et allii, 2001).
publicado por LUCIANO às 21:22
link do post | comentar | favorito
|

ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO - STATION OF TREATMENT OF SEWER

Estação de tratamento de esgoto (ETE)
Instalação onde os esgotos domésticos são tratados para remoção de materiais que possam prejudicar a qualidade da água dos corpos receptores e ameaçar a saúde pública. A maior parte das estações utiliza uma combinação de técnicas mecânicas e bacteriológicas para o tratamento do esgoto.
publicado por LUCIANO às 19:43
link do post | comentar | favorito
|

ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA - STATION OF WATER TREATMENT

Estação de tratamento de água (ETA)
Instalação onde se procede ao tratamento de água captada de qualquer manancial, por meio de processos físicos, químicos e bioquímicos, visando a torná-la adequada ao consumo doméstico ou industrial. Os processos empregados variam de acordo com as características da água bruta e da qualidade da água tratada desejada, podendo incluir a clarificação, a desinfecção, ou a eliminação de impurezas específicas.
publicado por LUCIANO às 19:40
link do post | comentar | favorito
|

ESPÉCIE EXÓTICA - EXOTIC SPECIES

Espécie exótica
Espécie introduzida fora de uma área de ocorrência original. (2) Espécie presente em uma determinada área geográfica da qual não é originária (ACIESP, 1980). (3) (Aqüicultura) Espécie de origem e ocorrência natural em águas de outros países, quer tenha ou não já sido introduzida em águas brasileiras (Portaria IBAMA 119/94). (4) Que não é nativa de uma área ou que foi introduzida numa área ou região por ação humana, mas se adaptatou ao novo ambiente.
publicado por LUCIANO às 19:37
link do post | comentar | favorito
|

ESPÉCIE ENDÊMICA - ENDEMIC SPECIES

Espécie endêmica
Espécie com distribuição geográfica restrita a uma determinada área. (2) Diz-se de uma espécie cuja distribuição esteja limitada a uma zona geográfica definida (Pères, 1968). (3) Espécies que tem uma limitada distribuição na face da Terra; em geral encontradas nas regiões de origem (MARTINS, 1978). (4) a. Espécie cuja área de distribuição é restrita a uma região geográfica limitada e usualmente bem definida. b. Para certos autores, sinônimo de espécie nativas (ACIESP, 1980). (5) Que tem área de distribuição restrita a uma região geográfica limitada e ususlmente bem definida.
publicado por LUCIANO às 19:34
link do post | comentar | favorito
|

ESPÉCIE EM PERIGO DE EXTINÇÃO - SPECIES IN EXTINGUISHING DANGER

Espécie em perigo de extinção (Lince Ibérico)
Qualquer espécie que possa se tornar extinta em um futuro previsível se continuarem operando os fatores causais de ameaça em toda a uma área de ocorrência ou parte significativa desta. (2) Espécies da flora e da fauna selvagem, de valor estético, científico, cultural, recreativo e econômico, protegidas contra a exploração econômica pelo comércio internacional, de acordo com a Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Flora e da Fauna Selvagens em Perigo de Extinção, firmada em Washington, a 3 de março de 1973, e aprovada pelo Decreto Legislativo nº 54 de 24.06.75. (2) Qualquer espécie que esteja em perigo de extinção ou que provavelmente venha a se encontrar em perigo de extinção, dentro de um futuro previsível, na totalidade em uma porção significativa de seu território (USDT, 1980).
publicado por LUCIANO às 19:30
link do post | comentar | favorito
|

ESPÉCIE DOMESTICADA - DOMESTICATED SPECIES

Espécie domesticada
Espécie silvestre manipulada pelo homem que influencia e direciona seu processo evolutivo para atender às necessidades de sobrevivência da humanidade. As espécies domesticadas são cultivadas para uma variedade de propósitos, daí os grupos de plantas medicinais, ornamentais, etc. Destaca-se o grupo utilizado em agricultura sob os nomes de cultura, cultivo agrícola, produto ou �commodities� (geralmente cereais ou grãos com cotação em bolsas de mercadorias).
publicado por LUCIANO às 15:11
link do post | comentar | favorito
|

ESPÉCIE AUTÓCTONE

Espécie autóctone
Planta nativa, indígena, que ocorre como componente natural da vegetação de um país. Espécies nesta categoria são de origem exclusiva e não apresentam populações ancestrais em territórios estrangeiros (ex.: milho, com origem no México).
publicado por LUCIANO às 15:06
link do post | comentar | favorito
|

ESPÉCIE AMEAÇADA DE EXTINÇÃO - THREATENED SPECIES OF EXTINGUISHING

Espécie ameaçada de extinção
Espécie vulnerável; espécie cuja população total está declinando rapidamente e que pode desaparecer, em áreas específicas ou em seu todo, como resultado de ações antrópicas diretas ou indiretas; de acordo com critérios internacionais, existem três categorias de ameaça: 1 - em perigo: espécie cuja sobrevivência é improvável, se permanecerem as causas da ameaça; 2 - ameaçada: espécie que possivelmente passará à categoria de em perigo, se permanecerem os fatores adversos; 3 - rara: espécie com pequena população mundial; pode haver ameaça de extinção mesmo quando existe um grande número de animais, se for alto o grau de consangüindade entre eles; como a extinção é reconhecida apenas quando não há registros de nenhum indivíduo de uma determinada espécie vegetal ou animal por mais de 50 anos, é preferível utilizar a expressão " ameaçados de extinção".
publicado por LUCIANO às 15:02
link do post | comentar | favorito
|

ESPÉCIE ALÓCTONE

Espécie alóctone ou exótica
Planta que é introduzida em uma área onde não existia originalmente. Várias espécies de importância econômica estão nessa categoria (ex.: introdução do milho nas Américas, África e Ásia, aquela da seringueira na Malásia ou do caju na África Oriental e Índia). Várias plantas invasoras de cultivos e plantas daninhas enquadram-se nesta categoria, sendo geralmente introduzidas por acidente no país receptor, e asselvajando-se em seu novo hábitat.
publicado por LUCIANO às 15:00
link do post | comentar | favorito
|

ESPÉCIE - SPECIES

Espécie
Unidade básica de classificação dos seres vivos. Antigamente tida como a unidade de evolução dos organismos, a espécie cedeu este lugar para a população local. (2) A menor população natural considerada suficientemente diferente de todas as outras para merecer um nome científico, sendo assumido ou provado que permanecerá diferente de outras, ainda que possam ocorrer eventuais intercruzamentos com espécies próximas. (3) Unidade biológica fundamental; população que se entrecruza e tem um conjunto de características muito semelhantes entre si e a seus ancentrais; a classificação por espécies está associada à capacidade de reprodução: dois indivíduos de espécies pode ter várias subespécies; não usar como sinônimo de gênero ou família: uma família pode ter vários gêneros e um gênero pode ter várias espécies. (4) Conjunto de indivíduos semelhantes, capazes de se cruzar, produzindo descendentes férteis. É uma categoria da classificação biológica subordinada imediatamente ao gênero ou sub gênero (Glossário Ibama, 2003 ).
tags:
publicado por LUCIANO às 14:56
link do post | comentar | favorito
|

EROSÃO - EROSION

Erosão
Trabalho de desgaste realizado pelos diversos agentes do relevo, tais como as águas correntes, o vento e o gelo. (2) Desgaste do solo por água corrente, geleiras, ventos e vagas (DNAEE, 1976). (3) Destruição das saliências ou reentrâncias do relevo, tendendo a um nivelamento ou colmatagem, no caso de litorais, baías, enseadas e depressões (GUERRA, 1978). (4)Desgaste e/ou arrastamento da superfície da terra pela água corrente, vento, gelo ou outros agentes, incluindo processos como o arraste natural. (5) Desgaste do solo, ocasionado por diversos fatores, tais como: água corrente, geladeiras, ventos, vagas e desmatamentos. Obras de engenharia e movimentações de terra podem causar ou ocasionar erosão. Tipos de erosão: mecânica, hidráulica, eólica e outras. (6) Remoção física de rochas ou de partículas do solo por ação de elementos da natureza, como a água e o vento; os processos erosivos podem ser acelerados por atividades antrópicas.
tags:
publicado por LUCIANO às 14:53
link do post | comentar | favorito
|

EQUILÍBRIO ECOLÓGICO - ECOLOGICAL BALANCE

Equilíbrio ecológico
População de tamanho estável na qual as taxas de mortalidade e emigração são compensadas pela taxa de natalidade e imigração. Equilíbrio de fluxo de energia em um ecossistema. (2) População na qual as freqüências de genes estão em equilíbrio. (3) O equilíbrio ecológico é um requisito para a manutenção da qualidade e das características essenciais do ecossistema ou de determinado meio. Não deve ser entendido como situação estática, mas como estado dinâmico no amplo contexto das reações entre os vários seres que compõem o meio, como as relações tróficas, o transporte de matéria e energia. O equilíbrio ecológico supõe mecanismos de auto-regulação ou retroalimentação nos ecossistemas. (4) Equilíbrio da natureza; estado em que as populações relativas das diferentes espécies permanecem constantes; o equilíbrio ecológico tem um caráter dinâmico pois é submetido às relações constantes entre os seres vivos de uma comunidade e entre as comunidades ecossistemas; a destruição do equilíbrio ecológico causa a extinção de espécies e coloca em risco os processos ecológicos essenciais.
publicado por LUCIANO às 14:48
link do post | comentar | favorito
|

EQUILÍBRIO - BALANCE

Equilíbrio
Um dos conceitos mais importantes dentro da ecologia. Um sistema está em equilíbrio quando se efetuam trocas de energia de maneira balanceando, quando efetivo da perda é compensado pelo efetivo do ganho. O desequilíbrio ecológico geralmente é motivado pelo desejado de se obter lucros e rendimento rapidamente. As conseqüências ambientais não pesam na avaliação do modelo de desenvolvimento predatório.
publicado por LUCIANO às 14:43
link do post | comentar | favorito
|

EPÍFITA

Epífita
Qualificativo do vegetal que nasce sobre outro, sem dele tirar a sua alimentação. (2) Qualquer espécie vegetal que cresce ou se apóia sobre outra planta ou objeto, retirando seu alimento da chuva ou de detritos e resíduos que coleta de seu suporte. Plantas aéreas, sem raízes no solo (ODUM, 1972). (3) Planta que cresce a outra planta sem retirar alimento ou tecido vivo do hospedeiro (Resolução CONAMA). (4) Vegetal que vive sobre um outro, apenas apoiando-se, sem dele retirar nutrientes.
tags:
publicado por LUCIANO às 14:39
link do post | comentar | favorito
|

ENXOFRE - SULPHUR

Enxofre
Elemento de número atômico 16 não metálico, cristalino, amarelo, com odor característico. Como o calcário, o nitrogênio ou carbono, o enxofre também se move dentro de ciclos da biosfera. Os sulfatos são a principal fonte de enxofre para os seres vivos, pois são assimilados pelas proteínas, incorporando-se na estrutura da matéria viva.
tags:
publicado por LUCIANO às 14:37
link do post | comentar | favorito
|

ENVIRONMENTAL PROTECTION AGENCY (EPA)

Environmental Protection Agency (EPA)
Agência Federal de Proteção Ambiental dos Estados Unidos. No Brasil o seu equivalente é o Ibama.
publicado por LUCIANO às 14:33
link do post | comentar | favorito
|

ENTROPIA - ENTROPY

Entropia
Medida da desordem da quantidade de energia não disponível em um sistema (ODUM, 1972). (2) É uma quantidade relativa de energia perdida de modo natural e inevitável num sistema físico-químico, conforme a segunda lei da termodinâmica. Enquanto esta energia perdida vai aumentando, o sistema vai se aproximando cada vez mais do seu estado de equilíbrio. Deste modo, a entropia pode ser encarada como uma medida de degeneração termodinâmica (CARVALHO, 1981). (3) Essência do segundo princípio da termodinâmica, talvez a lei natural mais forte e determinante da realidade física já descoberta pelo homem. A entropia representa a energia que não pode ser mais usada por perdida geralmente sob forma de calor. Pode ser interpretada como uma medida do grau de desordem de um sistema.
tags:
publicado por LUCIANO às 14:30
link do post | comentar | favorito
|

ENTIDADE POLUIDORA - POLLUTING ENTITY

Entidade poluidora
Qualquer pessoa física ou jurídica, de direito público ou privado, responsável por atividade ou equipamento poluidor, ou potencialmente poluidor do meio ambiente (Deliberação CECA nº03 de 28.12.77) (2) A pessoa física ou jurídica, de direito público ou privado, responsável, direta ou indiretamente, por atividade causadora de degradação ambiental (Lei nº 6.938 de 31.08.81).
publicado por LUCIANO às 14:27
link do post | comentar | favorito
|

ENGENHARIA FLORESTAL - FOREST ENGINEERING

Engenharia florestal
Orientada à administração e manejo dos recursos florestais, baseados nos conhecimentos fornecidos pela ciência florestal. O engenheiro florestal maneja e administra as áreas florestais visando à proteção ecológica, à obtenção de produtos florestais (madeira, essências, carvão, látex, resinas, caça, frutos, etc.), à recreação e lazer, ou ainda à obtenção de todos esses benefícios simultaneamente.
publicado por LUCIANO às 14:23
link do post | comentar | favorito
|

ENERGIA HIDRELÉTRICA

Energia hidrelétrica
É Energia limpa porque não emite poluentes e não influi no efeito estufa. É produzida por uma turbina movida pela energia liberada de uma grande queda d`água que aciona um gerador produtor de energia elétrica. Apresenta dois grandes inconvenientes: o impacto ambiental provocado pelas barragens, que inundam grandes áreas deslocando populações, e o tempo e os recursos que são necessários para sua construção.
publicado por LUCIANO às 14:19
link do post | comentar | favorito
|

ENERGIA HIDRÁULICA - HYDRAULICAL ENERGY

Energia hidráulica
Energia hídrica. Energia potencial e cinética das águas. (2) Energia proveniente do movimento das águas. É produzido por meio do aproveitamento do potencial hidráulico existente num rio, utilizando desníveis naturais, como quedas d´água ou artficiais produzido pelo desvio do curso original do rio.
publicado por LUCIANO às 14:15
link do post | comentar | favorito
|

ENERGIA EÓLICA - AEOLIAN ENERGY

Energia eólica
É a energia obtida pelo movimento do ar/vento. É uma abundante fonte de energia renovável, limpa e disponível em todos os lugares. (2) Tipo de energia que apresenta grandes vantagens, pois não necessita ser implantada em áreas de produção de alimentos, não contribui para o efeito estufa e pode ser aplicada para geração de energia elétrica. O seu funcionamento é simples: pás das hélices gigantes captam o vento acionando uma turbina ligada a um gerador elétrico. Para se usar esse tipo de energia são necessários grandes investimentos para a sua transmissão. Os moinhos podem causar poluição sonora e interferir em transmissões de rádio e televisão.
publicado por LUCIANO às 12:20
link do post | comentar | favorito
|

ENERGIA DE ONDA - WAVE ENERGY

Energia de onda
Energia expressa pela capacidade de trabalho da onda. A energia de um sistema de ondas é teoricamente proporcional ao quadrado da altura da onda, que é um parâmetro de obtenção relativamente fácil. Deste modo, uma costa de alta energia de onda caracteriza-se por alturas de arrebentação superiores a 50 cm e uma costa de baixa energia apresenta alturas inferiores a 10 cm. A maior parte da energia de onda de uma região costeira é consumida no atrito com o fundo e na movimentação da areia.
publicado por LUCIANO às 12:18
link do post | comentar | favorito
|

ENERGIA DE MARÉ - TIDE ENERGY

Energia de maré
Em regiões costeiras de profundidades inferiores a 100m, grande parte da energia de maré é dissipada por atrito, e desta maneira a energia de maré é máxima em mar aberto. Esta energia pode ser utilizada na produção de energia elétrica através das usinas elétricas de maré.
publicado por LUCIANO às 12:15
link do post | comentar | favorito
|

ENERGIA DE BIOMASSA

Energia de biomassa
Energia obtida a partir de matéria animal e vegetal. Quando se classifica a energia de biomassa como energia alternativa, refere-se à biomassa renovável. Como exemplos, temos o álcool combustível, obtido e produzido dos resíduos orgânicos e do lixo proveniente das atividades humanas, através do biodigestor.
publicado por LUCIANO às 06:00
link do post | comentar | favorito
|

ENERGIA ALTERNATIVA

Energia alternativa
Fontes de obtenção de energia que sejam mais limpas (menos impactantes ao meio ambiente) e renováveis têm sido pesquisadas e desenvolvidas com alguma intensidade nas últimas décadas. (2) Energia obtida de fontes diferentes das usadas nas grandes usinas comerciais, que atualmente são as usinas térmicas convencionais, as hidroelétricas e as nucleares. Ela vem de usinas geralmente pequenas, geram pouca poluição, e normalmente utilizam fontes renováveis. Os principais tipos atuais são a energia solar, eólica, das marés, geotérmica, das ondas e da biomassa. É o oposto de montente.
publicado por LUCIANO às 05:57
link do post | comentar | favorito
|

ENDEMISMO

Endemismo
Fenômeno da distribuição das espécies (ou subespécies) animais ou vegetais referida a uma área restrita e mais ou menos isolada. (2) Endêmicas são as espécies (ou doenças) características de um só local, região ou ou país. (3) Isolamento de uma ou muitas espécies em um espaço terrestre, após uma evolução genética diferente daquelas ocorridas em outras regiões. O endemismo insular permite à Ecologia estudar ecossistemas antigos que sobreviveram até estes dias. (LEMAIRE & LEMAIRE, 1975). (4) Espécie nativa, restrita a uma determinada área geográfica (Resolução CONAMA 012/94). (5) Isolamento de uma ou mais espécies em um espaço terrestre, após uma evolução genética diferente daquelas ocorridas em outras regiões. O endemismo insular permite à Ecologia estudar ecossistemas antigos que sobreviveram até estes dias.
tags:
publicado por LUCIANO às 05:50
link do post | comentar | favorito
|

ENCRAVE FLORESTAL NO NORDESTE

Encrave Florestal do Nordeste
Floresta tropical baixa, xerófita, latifoliada e decídua, que ocorre em caatinga florestal ou mata semi-decídua, higrófila e mesófila com camada arbórea fechada, constituída devido à maior umidade do ar e a maior quantidade de chuvas nas encostas das montanhas. Constitui uma transição para o agreste. No ecótono como a caatinga são encontradas com mais freqüência palmeiras e algumas cactáceas arbóreas (Resolução Conama 010/93, art. 5º, V).
publicado por LUCIANO às 05:45
link do post | comentar | favorito
|

EL NIÑO

El niño
Fenômeno da inversão das correntes do Pacífico Equatorial e que pode ser verificado na época próxima ao Natal. Esse fenômeno provoca em vários países graves conseqüências climáticas, como períodos severos de seca, trombas-d`água no Pacífico, ciclones e tornados e chuvas violentas. Nas condições normais, os ventos sopram do leste ao oeste no Pacífico Equatorial. Em outras condições, ligadas a uma alta considerável da temperatura das águas do Pacífico, as correntes de ventos se invertem, afetando o clima mundial. El Niño em espanhol significa �¨O Menino¨, em referência ao Menino Jesus. (2) Fenômeno oceanográfico e atmosférico, altamente complexo, caracterizado por uma corrente quente marítima deslocando-se do Equador para os trópicos, que inverte, ou pelo menos impede, a circulação normal das águas quentes do Oceano Pacífico, a qual se dá da costa ocidental da América do Sul para a costa oriental da Austrália e Ásia. As causas objetivas deste fenômeno ainda são em grande parte desconhecidas, embora estudos minunciosos estejam em andamento em várias partes do mundo. O deslocamento normal (leste-oeste) das águas do Pacífico provoca uma grande ressurgência nas costas do Chile e Peru, o que por sua vez ocasiona o clima seco normalmente presente nessa área, e proporciona uma intensa reprodução de peixes. Periodicamente, com um intervalo variando de dois a sete anos, o El Niño ocorre no início do verão do hemisfério sul, daí seu nome " o menino" , originário de uma homenagem dos pescadores ao menino Jesus. Dura em média um ano e causa efeitos tão fortes nas condições do tempo em várias partes do planeta, que é considerado pelos meteorologistas o segundo fenômeno atmosférico-climático mais importante da Terra, atrás apenas da mudança das estações. Sua intensidade e período são muito variáveis e de difícil previsão, mas como modernas técnicas de sensoriamento remoto e os satélites, já é possível prever e prevenir minimamente seus efeitos. Estes vão de calor excessivo no norte dos EUA, seca intensa no nordeste brasileiro, chuvas fortes no sul do Brasil, ausência de peixes nas costas do Peru e Chile, secas na Austrália e uma série de outros efeitos significativos pelo mundo todo. No outono de 1997, foi detectado um El Niño iniciando-se excepcionalmente tarde, mas que provocou intensas chuvas nas costas do Chile e Peru, e um inverno excepcionalmente quente e seco no sudeste brasileiro. (3) Corrente de Água morna que flui preriodicamente no Oceano Pacífico, ao longo da costa oeste da América do Sul, provocando alterações no regime de ventos e de chuvas de várias partes do planeta. (4) Corrente oceânica quente, originária da corrente quente equatorial que, em cada sete de um período de quarentas anos, temporariamente desloca a corrente de Humboldt da costa peruana, ocorrendo quando os ventos de sudeste do oceano Pacífico perdem sua força; provoca, entre outros fenômenos, bruscas alterações climáticas no continente (como as violentas chuvas e conseqüentes inundações no Brasil). Tem esse nome por sempre ocorrer próximo ao fim do ano. O El Niño, no caso, é o Menino Jesus (Glossário LIbreria, 2003).
tags:
publicado por LUCIANO às 05:42
link do post | comentar | favorito
|

EFLUENTES

Efluentes
Águas fluviais ou de esgotos que são despejadas nas águas costeiras. Os esgotos podem ser domésticos ou industriais (química, mineração, etc.) e podem levar à poluição ambiental como acontece na região de Santos (SP). (2) Qualquer tipo de água, ou líquido, que flui de um sistema de coleta, de transporte, como tubarões, canais, reservatórios, ou de um sistema de tratamento ou disposição final, com estações de tratamento e corpos de água.
tags:
publicado por LUCIANO às 05:39
link do post | comentar | favorito
|

EFEITO ESTUFA

Efeito estufa
Fenômeno de aquecimento da superfície terrestre de grande comprimento de onda, que é absorvida e reemitida pelo gás carbônico e vapor de água na baixa atmosfera, eventualmente retornando à superfície. Embora ainda seja um assunto sujeito a controvérsias, alguns pesquisadores admitem que o efeito estufa poderia causar a fusão parcial das geleiras polares, ocasionando importante subida dos níveis oceânicos nos próximos decênios. (2) Aquecimento da superfície terrestre provocado pelo aumento da concentração de certos gases na atmosfera (gás carbônico e metano), o que altera o equilíbrio termodinâmico do planeta. (3) Denominação dada ao aumento da temperatura superficial da terra, numa escala global, decorrente ao acréscimo das concentrações atmosféricas de gases com a característica de serem fortes absorvedores de energia, na faixa de radiação infravermelha e, fracos absorvedores, no espectro visível. Em geral, o termo é associado à presença de dióxido de carbono. A estufa natural, constituída por camadas de gases que envolviam a Terra, quando de sua formação, contribui para que a vida surgisse e se mantivesse no Planeta, pois impedia que o calor terrestre se dissipasse e voltasse para o espaço sideral. O fenômeno atual deve-se à intensidade e à natureza do calor retido, que passou a constituir um risco global. (4) Aquecimento da temperatura média na Terra; recebeu esse nome porque o processo é semelhante ao produzido pela passagem da luz através do vidro de uma estufa, que não permite a saída do calor. A radiação do sol entra facilmente na atmosfera, aquecendo a superfície da Terra e provocando, a emissão de radiação infravermelha. Gases como o dióxido de carbono (gás carbônico CO2), cuja conseqüência da poluição, absorvem a radiação infravermelha e impedem que o calor deixe a Terra; a maior concentração de dióxido de carbono na atmosfera se deve, principalmente, ao aumento do uso de combustíveis fósseis; automóveis e usinas de energia contribuem com 75% do gás carbônico liberado em nações industrializadas; a devastação e a queima de florestas tropicais também contrinuem para a maior emissão de dióxido de carbono.
publicado por LUCIANO às 05:37
link do post | comentar | favorito
|

EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INDIVIDUAL

Educação e desenvolvimento individual
A Agenda 21 enfatiza a capacitação individual, nas áreas de programa que acompanham os capítulos temáticos, ressaltando a necessidade de ampliar o horizonte cultural e o leque de oportunidades para os jovens. Há em todo o texto um forte apelo para que governos e organizações da sociedade promovam programas educacionais que propiciem uma tomada de consciência dos indivíduos sobre a necessidade de se pensar nos problemas comuns a toda a humanidade. Busca-se, ao mesmo tempo, incentivar o engajamento em ações concretas nas comunidades.
publicado por LUCIANO às 05:35
link do post | comentar | favorito
|

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NÃO FORMAL

Educação ambiental não formal
Aquela que opera através de programas direcionados para os aspectos bem definidos da realidade social e ambiental. Usa meios multivariados. Tem a função de informar e formar. Atua sobre e com comunidades. Desenvolve ações na área da educação, comunicação, extensão e cultura. Tem ainda propósitos informativos para o esclarecimento e orientação de questões de ordem tecnológica.
publicado por LUCIANO às 05:32
link do post | comentar | favorito
|

EDUCAÇÃO AMBIENTAL INFORMAL

Educação ambiental informal
Aquela que se dirige ao grande público, ou à sociedade, e que se vale dos meios de comunicação convencionais. Ela se presta à difusão de informações ou ao esforço de programas institucionais no âmbito da política, da educação e da cultura ambiental. Ex.: pesquisa, campanhas de opinião pública, articulações políticas com entidades ambientais, comemorações de datas e eventos sobre o meio ambiente.
publicado por LUCIANO às 05:29
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds